Aviso de Prescrição do Prazo de Reclamação do Pagamento de Direitos Conexos dos Artistas

A distribuição ordinária de fonogramas de 2010 prescreve a 30 de setembro de 2017. A GDA – Direitos dos Artistas torna público que no próximo dia 30 de setembro de 2017 se contarão cinco anos volvidos desde a distribuição respeitante aos direitos de comunicação pública e de cópia privada de fonogramas relativos ao ano de […]

A distribuição ordinária de fonogramas de 2010 prescreve a 30 de setembro de 2017.

A GDA – Direitos dos Artistas torna público que no próximo dia 30 de setembro de 2017 se contarão cinco anos volvidos desde a distribuição respeitante aos direitos de comunicação pública e de cópia privada de fonogramas relativos ao ano de 2010. Termina assim nessa data o prazo aprovado pela Assembleia Geral para reclamar os direitos em referência.

A distribuição ordinária de audiovisual de 2008 prescreve a 31 de outubro de 2017.

A GDA – Direitos dos Artistas torna público que no próximo dia 31 de outubro de 2017 se contarão cinco anos volvidos desde a distribuição respeitante aos direitos de comunicação pública e de cópia privada de audiovisual relativos ao ano de 2008. Termina assim nessa data o prazo aprovado pela Assembleia Geral para reclamar os direitos em referência.

Os artistas que reúnam as condições para se inscrever na GDA, deverão contatar o serviço de Apoio ao Cooperador antes do prazo terminar, pois caso contrário os seus direitos irão prescrever.

Programa MODE’15

O Programa MODE’15 – através da qual a Fundação GDA apoia as primeiras edições comerciais de obras discográficas em Portugal durante 2015 – já começou. O Programa MODE destina-se a músicos – intérpretes ou executantes – que já sejam cooperadores da GDA, ou que venham a sê-lo até ao final do MODE’15. A Fundação GDA […]

O Programa MODE’15 – através da qual a Fundação GDA apoia as primeiras edições comerciais de obras discográficas em Portugal durante 2015 – já começou. O Programa MODE destina-se a músicos – intérpretes ou executantes – que já sejam cooperadores da GDA, ou que venham a sê-lo até ao final do MODE’15.

A Fundação GDA reforça nesta edição o valor do incentivo a atribuir aos músicos cooperadores – de €140.000,00 (cento e quarenta mil euros) atribuídos às obras de 2014, passa-se para €200 (duzentos mil euros) para os discos lançados em 2015. Para além de compensar intérpretes e executantes, o grande objetivo é que os artistas declarem o seu repertório para receberem os direitos que lhes são devidos.

O apoio às primeiras edições discográficas colocadas no mercado entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2015 serve, em boa parte, para as compensar por naturais lacunas de monitorização das primeiras utilizações, devido a compreensíveis atrasos nas declarações de repertório por parte dos músicos cooperadores. Mas serve também, precisamente, para que os artistas que ainda não declararam o seu repertório tenham agora um incentivo extra para o fazerem.

O prazo para o envio dos discos para a Fundação GDA termina a 15 de setembro de 2017. No entanto, todos os executantes ou intérpretes que neles tenham participado terão até 29 de setembro de 2017 para fazer as suas declarações de repertório no portal da GDA.

As regras do Programa MODE’15 estão disponíveis para consulta no seguinte link.

A Fundação GDA leva a Portalegre e a Faro o rastreio nacional da voz artística

Anunciado no Dia Mundial da Voz de 2017, o rastreio terá nos distritos de Portalegre e Faro as suas próximas etapas. Dirigido aos artistas destas regiões, será aberto a toda a população mediante inscrição.
Dias 31 de julho e 1 de agosto, no centro de saúde de Portalegre.
Dias 8 e 9 de agosto, na Unidade de Saúde Familiar Farol (USF – Farol), na Lejana de Cima, em Faro.

Este rastreio resulta de uma iniciativa da GDA em parceria com o Ministério da Saúde e o Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, cuja Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz se tem distinguido como o principal ponto do Serviço Nacional de Saúde onde são prestados cuidados de saúde diferenciados na área da voz a artistas portugueses.

Em Portalegre, o rastreio terá lugar no Centro de Saúde de Portalegre (Rua 1º de Maio), na segunda-feira 31 de julho e na terça-feira 1 de agosto, entre as 9:00 e as 18:00.

Em Faro, o rastreio terá lugar na Unidade de Saúde Familiar Farol (Urbanização Graça Mira – Lejana de Cima), na terça-feira 8 de agosto e quarta-feira 9, entre as 9:00 e as 18:00.

Dirigido à comunidade artística mas aberto a toda a população, a população poderá inscrever-se nos respetivos centros de Saúde e os artistas poderão fazê-lo também a partir de um formulário da Fundação GDA. Quem passar por lá e tiver vaga, será atendido.

Em Faro, para a primeira manhã – a de terça-feira, 8 de agosto – o cantor Nuno Guerreiro, da Ala dos Namorados, e o Pedro Lima já confirmaram a sua presença. Algarvio de nascimento, Nuno Guerreiro irá fazer o rastreio da sua voz à USF do Farol e protagonizará um breve apontamento musical no centro de saúde por volta das 11:00.

“Este rastreio nacional é uma forma de chamar a atenção dos cantores e dos atores portugueses para os cuidados regulares que devem ter com o seu aparelho vocal: a exigência permanente a que a voz profissional está sujeita desenvolve algumas patologias que, se não forem detetadas cedo e corrigidas, comprometem a prazo a qualidade do desempenho artístico”, afirma Clara Capucho, a cirurgiã otorrinolaringologista responsável pelo rastreio da GDA.

“Para além de cantores e atores, é crucial para a saúde vocal dos portugueses que todas as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe”, afirma Clara Capucho. “Há muitos profissionais da voz como professores, jornalistas, advogados, políticos ou padres, entre muitos outros, que têm todo o interesse em verificar a saúde do seu aparelho vocal”.

“A Fundação GDA tem sido uma das organizações que, em Portugal, mais consistentemente tem promovido uma cultura de saúde da voz”, afirma por seu turno Luís Sampaio, vice-presidente da GDA, que acompanha o rastreio. “Para além das estruturas de prevenção e diagnóstico precoce que temos dinamizado, a GDA tem tido igualmente um papel importante no apoio e acompanhamento de casos críticos graves de alguns artistas”.

Este Rastreio Nacional da Voz Artística – anunciado a 16 de abril, Dia Mundial da Voz, no Teatro Nacional D. Maria II – será feito pelo menos uma vez por ano em todos os distritos e regiões autónomas, assegurando desta forma a possibilidade de se fazer o diagnóstico precoce de várias doenças típicas dos profissionais da voz. Serão muitas centenas de exames em cidades e regiões onde, até à data, os artistas lá residentes não tinham acesso a eles. Antes de Faro, o rastreio já passou por centros de saúde dos distritos de Vila Real, Bragança e Évora.

GDA lança campanha para os artistas do audiovisual declararem o seu repertório

A GDA incentiva todos os artistas que participaram em obras audiovisuais protegidas a declararem o seu repertório. Esta é a única forma de receberem os valores que lhes cabem pelos direitos cobrados. A campanha passará pela TV, pelo seu portal e pelas redes sociais e por telefone. Os atores e os bailarinos vão ter ações […]

A GDA incentiva todos os artistas que participaram em obras audiovisuais protegidas a declararem o seu repertório. Esta é a única forma de receberem os valores que lhes cabem pelos direitos cobrados. A campanha passará pela TV, pelo seu portal e pelas redes sociais e por telefone. Os atores e os bailarinos vão ter ações específicas para eles.

A GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas lança este mês de julho uma campanha de incentivo aos artistas que trabalham no audiovisual para que declarem o repertório no seu portal até 15 de setembro. A declaração de repertório é a forma de os artistas verem reconhecida a utilização dos seus trabalhos protegidos e de, assim, receberem a parte que lhe cabe dos direitos cobrados pela GDA.

Essa campanha será feita de várias formas. Terá um vídeo de suporte inspirado no célebre “romeiro” do Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett, com a participação dos atores como André Gago, Rita Blanco e Tobias Monteiro e a voz de Albano Jerónimo. E a GDA vai intensificar o apelo à declaração de repertórios no seu portal, nas redes sociais (sobretudo no Facebook) e na divulgação direta junto dos seus cooperadores através de e-mails, sms e telefonemas. Estão também previstas ações para atores e dirigidas aos bailarinos com obras utilizadas em programas de televisão.

“É essencial que os artistas declarem o seu repertório para que a GDA possa atribuir a cada vez mais pessoas os valores correspondentes aos direitos que lhes cabem”, afirma Carlos Vieira de Almeida, membro da Direção da GDA. “Já fizemos um grande esforço relativamente aos anos de 2012 e 2013, tendo conseguido nesta última distribuição, em junho, atingir 1300 artistas, sobretudo atores. É um recorde e um estímulo para continuarmos este trabalho”.

Os serviços da GDA têm intensificado o contacto direto junto dos seus cooperadores, tendo em atenção desde logo os que participaram nas obras que mais direitos geraram em cada ano. Por essa razão as taxas de distribuição têm aumentado significativamente, tendo em junho de 2017 – no primeiro momento das distribuições de direitos relativos aos anosde 2013 e de 2012 – sido colocados mais de 30% dos direitos em distribuição, abrangendo logo aí mais de metade dos direitos gerados por
obras portuguesas. Os restantes, cerca de 40% do total, dizem respeito a obras produzidas no estrangeiro e são distribuídos através das congéneres internacionais da GDA.

“Quando for realizada a distribuição de 2014 – que deverá estar pronta até ao final do próximo mês de outubro – será igualmente levada a cabo uma nova atualização da distribuição dos diretos de 2012 e de 2013”, afirma Luís Sampaio, vice-presidente da GDA e coordenador da Comissão de Distribuição. “A conjugação de esforços entre os operadores da GDA e os artistas que declaram o seu repertório está a permitir entregar, de forma cada vez rápida, os direitos a cada vez mais cooperadores”.

As declarações podem ser feitas online no Portal GDA. Ou, em alternativa, através dos gestores de repertório que trabalham nas instalações da GDA em Lisboa e no Porto.

GDA anuncia colaboração com a AMAEI – Associação de Músicos Artistas e Editoras Independentes

A GDA tem o prazer de informar os seus Cooperadores de uma nova colaboração com a AMAEI, Associação de Músicos Artistas e Editoras Independentes em Portugal. Uma vez que a AMAEI é a associação fonográfica independente, ou trade association (TA) em Portugal que defende os interesses dos produtores fonográficos independentes, entendemos que a parceria é […]

A GDA tem o prazer de informar os seus Cooperadores de uma nova colaboração com a AMAEI, Associação de Músicos Artistas e Editoras Independentes em Portugal. Uma vez que a AMAEI é a associação fonográfica independente, ou trade association (TA) em Portugal que defende os interesses dos produtores fonográficos independentes, entendemos que a parceria é de todo o interesse para os Cooperadores da GDA auto-editados.

A AMAEI tem como missão formar, informar, defender e promover o sector da música independente em Portugal e está aberta a inscrições por parte de produtores fonográficos, labels ou artistas que queiram esclarecer, profissionalizar, exportar ou desenvolver de outra forma a sua actividade, registada em duas redes internacionais que são essenciais para o sector independente: a IMPALA (European Music Companies Association), em Bruxelas, e a WIN (World Independent Network), em Londres e Nova Iorque.

Com nova sede na Incubadora Criativa da Mouraria em Lisboa, a AMAEI assiste os seus associados com questões práticas do dia-a-dia relacionados com as editoras fonográficas. Por outro lado, procura desenvolver protocolos e parcerias com entidades-chave para a actividade editorial, das quais são exemplo o protocolo com a SPA para potenciar as edições independentes, ou a agilização das inscrições por parte dos seus membros na Audiogest, com o objectivo de passarem a receber os direitos conexos do produtor fonográfico.

A AMAEI desenvolve várias iniciativas de promoção e exportação da música independente portuguesa. Marca presença em várias feiras, showcase festivals e outros encontros internacionais para fomentar a exportação da música portuguesa e celebra protocolos com condições exclusivas, que permitem a participação directa ou indirecta dos seus associados em eventos profissionais da música como o MIDEM, Reeperbahn Festival, MaMA Event, Indie Week NYC, entre outros.

Para mais informações, consulte: www.amaei.org.

Grammy Latino convida à participação dos Músicos Portugueses

A importância da música portuguesa e da produzida nos países de língua oficial portuguesa, a sua divulgação e o reconhecimento internacional, foram alguns dos motivos que levaram Gabriel Abaroa, Presidente e CEO da Academia Latina da Gravação, a vir a Lisboa, para um encontro que reuniu diferentes representantes da cena musical. A GDA fez-se representar […]

A importância da música portuguesa e da
produzida nos países de língua oficial portuguesa, a sua divulgação e
o
reconhecimento internacional, foram alguns dos motivos que levaram Gabriel
Abaroa, Presidente e CEO da Academia Latina da Gravação, a vir a Lisboa, para
um encontro que reuniu diferentes representantes da cena musical. A GDA fez-se
representar pelo seu Presidente, Pedro Wallenstein.

Neste encontro, que aconteceu no passado dia 21
de junho, falou-se também das diferenças entre a Academia Latina de Gravação, a
Fundação Cultural Grammy Latino e o Grammy Latino, sobre os princípios
orientadores que regem cada uma destas instituições, como sejam a isenção e a
transparência, que determinam os candidatos e distinguem os vencedores.

Foi, ainda, discutida a possibilidade de se criar uma categoria
específica e um comité de nomeação para o fado, no âmbito da reflexão sobre as
quarenta e oito categorias e dois prémios especiais já existentes, tal como o
Grammy
Latino de Carreira
atribuído ao fadista Carlos do Carmo em 2014.

Até ao dia 31 de julho de 2017, e como incentivo à participação dos
músicos portugueses ao Grammy Latino 2017, os
produtores, agentes ou outros representantes dos músicos, poderão inscrever-se
como membro associado no site do Grammy Latino.

O processo de afiliação é simples: basta ser músico, com um mínimo de
seis músicas editadas comercialmente, ou ter uma atividade relacionada com a
música. A afiliação implica, ainda, o pagamento de um valor de inscrição, que
neste período e para os músicos portugueses e/ou seus representantes tem o
valor simbólico de apenas €25.

Para usufruir deste valor reduzido de inscrição, terá de preencher um formulário de adesão (clique aqui para aceder ao formulário) e enviar juntamente com o comprovativo de pagamento para o e-mail michelle.aranguren@grammy.com. Para mais informações sobre as diferentes categorias de afiliação, poderá consultar o site oficial que
aqui disponibilizamos.

Se é músico, agarre esta oportunidade, dê à sua música um palco com 80 milhões de pessoas!