juntos no mesmo palco

Dia Mundial da Voz: rastreio, atuações, espetáculo

Um espectáculo no Teatro Ibérico com cantores e atores como Miguel Ângelo, Nuno Guerreiro, Paulo de Carvalho ou Eunice Munhoz. O rastreio de voz no Hospital Egas Moniz aberto a todos os interessados. E o acesso dos artistas cooperadores da Fundação GDA a consultas de voz, entre outras, dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa. Vamos celebrar o Dia Mundial da Voz!

8/04 15:07

Um espectáculo no Teatro Ibérico com cantores e actores como Miguel Ângelo, Nuno Guerreiro, Paulo de Carvalho ou Eunice Munhoz. O rastreio de voz no Hospital Egas Moniz aberto a todos os interessados. E o acesso dos artistas cooperadores da Fundação GDA a consultas de voz, entre outras, dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa. Vamos celebrar o Dia Mundial da Voz!

O elemento comum a todas as acções será Clara Capucho, a cirurgiã otorrinolaringologista que coordena a Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz, em Lisboa. Clara Capucho acompanha há anos os artistas cooperadores da GDA com problemas de voz e será a responsável pela consulta de voz realizada nos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa. Quer na prática clínica, quer na investigação científica, Clara Capucho é desde os anos 90 a médica portuguesa que mais se tem distinguido na área da voz, participando e intervindo nos principais congressos internacionais da especialidade.

Tal como nos anos anteriores, a primeira actividade que irá celebrar o Dia Mundial da Voz será o rastreio gratuito a todas as pessoas que se desloquem ao Hospital Egas Moniz nos dias 14, 15 e 16 deste mês. “É crucial para a saúde vocal dos portugueses que as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe”, afirma Clara Capucho. “Estes rastreios, não só se deviam multiplicar ao longo do ano, como se deviam também estender a todos os distritos do país e regiões autónomas”.

Este ano os rastreios no Hospital Egas Moniz contarão também com breves actuações de actores que fazem a prevenção da sua saúde vocal naquela Unidade de Voz. No dia 14, Quinta-feira, às 10h30, o actor Pedro Giestas interpreta um monólogo de uma peça teatral escolhida por si. No dia 15, Sexta-feira, às 15h, será o actor Paulo Pires a representar um trecho de uma peça que coloca os diferentes usos da voz em evidência.

O ponto alto das comemorações será um espectáculo no Teatro Ibérico em Lisboa, no dia 15 de Abril às 21h30. Iremos celebrar “A Voz no Espaço de Representação”. Apresentado e conduzido pelo tenor e professor de canto Luís Madureira (que é também professor voluntário na Unidade da Voz do Hospital Egas Moniz), o espectáculo contará com a participação de artistas como os cantores Miguel Gameiro, Miguel Ângelo, Nuno Guerreiro, Paulo de Carvalho, Emanuel, Olavo Bilac, Anjos, Gonçalo Tavares, o tenor Jorge Baptista da Silva e soprano Ana Madalena Moreira, a actriz Eunice Munhoz, entre outros.

“Irá ser um espectáculo dedicado à procura da nossa identidade vocal”, diz Luís Madureira. “Cantores, actores, locutores, professores, políticos, administradores de empresas, todos utilizamos a voz para nos exprimirmos e comunicarmos. A nossa voz –que pode ser clara, aveludada, timbrada, melodiosa, sensual, velada, nasal, estridente ou rouca – transmite pensamentos e emoções através de mudanças de cor, de tom, ritmo ou fraseado.” Será este o fio condutor do que se irá passar em palco, com os artistas a ilustrarem, com as suas actuações, o que for sendo dito.

Antes do espectáculo, terá lugar uma breve cerimónia de assinatura do protocolo entre os Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa e a Fundação GDA, o qual irá permitir aos artistas cooperadores da GDA acederem a consultas de voz, com laringoscopia incluída, a preços comparticipados pela Fundação. “A Fundação GDA tem sido a organização que, em Portugal, mais consistentemente tem promovido uma cultura de saúde da voz”, afirma Pedro Wallenstein, presidente da Fundação GDA. “Para além das estruturas de prevenção e diagnóstico precoce que temos dinamizado, a Fundação GDA, em colaboração com a Dra. Clara Capucho, tem tido igualmente um papel importante no apoio e acompanhamento de casos críticos graves de alguns artistas conhecidos”.

Uma intervenção de Clara Capucho – que é o elo que une todos os intervenientes no espectáculo – sobre os principais desafios que se colocam a uma cultura de saúde da voz em Portugal ocorrerá entre as actuações de cantores e actores.

A receita reverterá a favor da Liga dos Amigos do Hospital Egas Moniz, que a aplicará na vinda a Portugal de Jean-Paul Marie, cirurgião francês, um dos pouquíssimos no mundo que faz a re-enervação de cordas vocais. A sua estadia em Portugal servirá para intervir num congresso de otorrinolaringologia pediátrica e para dar a sua opinião sobre casos clínicos de doentes portugueses.